Você está aqui
Home > Destaques > Copa de Marcas desperta interesse de novos pilotos

Copa de Marcas desperta interesse de novos pilotos

Foto: Duda Bairros
Foto: Duda Bairros

Corridas extremamente disputadas, equilíbrio de forças, pilotos de alto calibre, carros com 300 cavalos de potência e um campeonato que se encaminha ao final tendo nove competidores com chances de título. A Copa Petrobras de Marcas reúne todos estes ingredientes que saltam aos olhos do fã de velocidade e desperta o interesse também de pilotos, que passam a querer participar do Brasileiro de Marcas.

Nomes consagrados do automobilismo brasileiro e internacional como Rubens Barrichello, Vitor Meira, Nonô Figueiredo e vários outros, além da presença das maiores montadoras do país como Ford, Renault, Honda, Chevrolet e Toyota, formam uma receita de sucesso.

Na última semana, dois pilotos tiveram a oportunidade de experimentar da sensação de pilotar um carro da Copa Petrobras de Marcas. A iniciativa foi incentivada pela Vicar, promotora do evento, e viabilizada por Nonô Figueiredo, da Onze Motorsports.

“Precisamos apresentar a categoria para outros pilotos, porque quem não conhece de perto precisa experimentar o equipamento para ter uma avaliação mais aproximada. Os pilotos gostaram bastante. Eles ficaram encantados com a potência, o barulho e o equilíbrio do carro. Foi um treino que não focou em desempenho, mas foi muito proveitoso, 100% além do que eu imaginava”, destacou Nonô, que disponibilizou sua estrutura e carro para a experiência.

Marcio Basso e Jorge Mortara guiaram o Ford Focus de competição pelo traçado do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA), localizado em Piracicaba, no interior de São Paulo. O treino não teve caráter de performance, e sim proporcionar uma primeira experiência para pilotos interessados na categoria.

“O circuito é mais curto, mas foi perfeito para a sessão principalmente em termos de logística. Fizemos uma revisão básica no carro, com foco maior nos itens de segurança. Tudo isso com o aval da Vicar e da JL, pois trata-se de um benefício para toda a categoria e uma oportunidade para que novos pilotos conheçam e considerem a possibilidade de correr no Brasileiro de Marcas, seja por qual equipe for. Queremos um grid cheio”, diz.

Marcio Basso está em seu primeiro ano de automobilismo, mas já acumulou boas “horas de voo” competindo no Mercedes-Benz Challenge (categoria C 250 Cup) e na Porsche Cup. “Vendo de longe eu achava complicado pelo câmbio sequencial e tração dianteira, porque os carros que corro têm acionamento pelo paddleshift (atrás do volante) e tração traseira. Mas eu tinha muita curiosidade sobre a Copa Petrobras de Marcas, porque acompanho bastante. Depois que guiei o carro, achei excelente, pois eu nutria uma expectativa um pouco reservada, mas o carro é fantástico, fácil de guiar, rápido. Adorei. Este treino foi bastante importante e me abriu muito a cabeça em relação ao equipamento”, elogiou o piloto de 42 anos.

“Por ter fabricantes envolvidas, estar dentro de um grande evento, fora o fato de que no Marcas só tem piloto ‘faixa preta’, eu acho a categoria até mais legal do que a Stock Car. Será um prazer estar neste evento no ano que vem”, disse o competidor da cidade de Ribeirão Preto (SP).

Com sobrenome de piloto do DTM, Jorge Mortara acumula experiência no kart e em categorias menores do turismo, e também disse que o equipamento lhe causou boa impressão. “O propósito era ter essa primeira experiência, e foi bastante positivo – e só me deixou mais decidido a correr na temporada 2016 do Marcas”, disse.

Embora, segundo ele, ainda haja outros fatores a se considerar, como captação de patrocínios e negociação com equipes. “Mas o primeiro contato ajudou muito na minha decisão. É um carro muito estável e que traz uma sensação de segurança muito grande – o que leva o piloto a testar o limite em um nível cada vez mais alto”, diz o sorocabano de 31 anos, que tem inclusive viajado às provas acompanhando a Onze Motorsports.

“As corridas são sempre muito disputadas, e o nível dos pilotos traz uma mescla interessantíssima de gente super calibrada, do nível de Rubens Barrichello, Nonô Figueiredo e Vitor Meira, pilotos muito experientes com carros de turismo e gente que está dando os primeiros passos no automobilismo”, apontou.

O evento, segundo Mortara, é outro fator determinante. “Isso a torna muito interessante para ganhar experiência. O evento em si é sensacional, com tantas categorias juntas – inclusive a Stock Car -, o que só contribui para a evolução e o crescimento da Copa Petrobras de Marcas”, conclui.

Nonô Figueiredo deverá repetir a experiência com mais pilotos até o final do mês de novembro em Piracicaba (SP).

Deixe uma resposta

Top