Você está aqui
Home > Outras categorias > Dakar: Equipe Mitsubishi Petrobras sobe na classificação

Dakar: Equipe Mitsubishi Petrobras sobe na classificação

Foto: José Mario Dias
Foto: José Mario Dias

No sexto dia, o Rally Dakar foi todo dentro da Bolívia, com a passagem pelo famoso Salar de Uyuni, que é a maior planície de sal do mundo, com 10.582 quilômetros quadrados.

“Foi uma especial típica de Dakar, 542 km bem cansativos, com piso ruim, cruzamento de estrada, rio, pegamos areia e contornamos o Salar, com trechos e alta e baixa”, descreve o navegador Gustavo Gugelmin. Fomos costeando o Salar e foi muito prazeroso estar correndo com ele a nosso lado, aquela imensidão branca”, afirma.

Ao lado do piloto João Franciosi, a dupla ganhou sete posições, terminando o dia em 25o, com um total de 5h45min11 de prova. “Conseguimos uma posição melhor e subimos na classificação geral, encostando nos outros três que estavam à nossa frente. O ASX Racing se comportou muito bem, nem pneu furado tivemos”, completa Gustavo.

A prova foi realizada entre 3.500 e 4.200 metros de altitude, onde o ar fica ainda mais rarefeito. O ritmo e o terreno mudavam constantemente, alternando entre areia e pedras.

Etapa 7 – 09 de janeiro
Uyuni (BOL) – Salta (ARG)
Deslocamento: 440 km
Especial: 353 km
Total: 793 km

A etapa deste sábado marca a metade da prova e é a última antes do dia de descanso. A prova retorna para a Argentina, onde seguirá até o último dia. A chegada será na cidade de Salta, tradicional no roteiro da América do Sul. Mas o trecho será cansativo, com muitas travessias de rios e uma especial de 353 km.

“A altitude é um fator que influência muito, não só para o carro, mas para nós também. Na sétima etapa vamos andar na mesma altitude, ou ainda mais alto, e continuará a ser um dia difícil. Mas ainda bem que temos o descanso no domingo”, festeja Gugelmin.

Deixe uma resposta

Top