Você está aqui
Home > F-Truck > F-Truck: A. Marques confirma permanência na categoria

F-Truck: A. Marques confirma permanência na categoria

Foto: Orlei Silva
Foto: Orlei Silva

Em sua sétima temporada na Fórmula Truck, o piloto André Marques tem como grande objetivo vencer uma prova em 2016. Ele já fez vários pódios com os caminhões Scania, quando guiou pela equipe de Roberval Andrade, com o Volvo, da ABF e com o MAN, no ano passado, quando ficou cinco vezes entre os cinco primeiros colocados na segunda fase.

Em algumas delas, a sonhada vitória acabou escapando pelos dedos devido, principalmente, a problemas mecânicos. Ele espera que a situação mude já na primeira corrida, marcada para dia 13 de março em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul.

“Está tudo acertado para eu permanecer. Se eu continuar de MAN ou for andar de Volkswagen Constellation, que ficou livre com a saída do Leandro Totti, não vai mudar nada. O motor é o mesmo, a única diferença é estrutural e aerodinâmica entre outros pontos. Isso ora favorece os Volks, ora os MAN. Neste ano quero muito buscar minha primeira vitória, pois já bati na trave várias vezes”, disse André Marques.

Renato Martins, dono da equipe RM Competições e o maior ganhador da história da categoria com 27 vitórias, diz que a escolha do caminhão será do próprio piloto. “Ele é que decide se vai continuar de MAN ou se vai para o Volkswagen Constellation”, disse o ex-piloto que deixa aberta a possibilidade de voltar a correr.

Em 2015 André Marques, o piloto do caminhão 77, chegou cinco vezes no pódio e teve quatro quebras que atrapalharam muito sua vida, além do acidente na finalíssima de Londrina, quando, quase no final da corrida, capotou e a prova foi encerrada com bandeira amarela.

“Venho na luta pela minha primeira vitória. Em Guaporé era mais rápido do que o Cirino e estava deixando mais para o final a tentativa de ultrapassagem, quando o acidente com o Luiz Lopes levou a prova a terminar com bandeira amarela. Em Curitiba estava liderando quando, no finalzinho, estourou o turbo na reta, e também bateu na trave”, relembra.

Com isso, ele ficou em sexto lugar na classificação geral com 268 pontos. No final do ano ele e a equipe fizeram as contas e chegaram à conclusão de que poderia ter chegado a Londrina brigando pelo título caso tivesse concluído essas provas.

“Sem dúvida que essas posições na frente me ajudaram a continuar na RM Competições. O regulamento distribui muitos pontos e mesmo se eu não tivesse vencido uma corrida no ano passado, poderia ter chegado à briga e até ser campeão. Hoje, a regularidade é mais importante do que ganhar”, finaliza André Marques.

Deixe uma resposta

Top