Você está aqui
Home > Destaques > F-Truck: Paulo Salustiano faz seu melhor ano na categoria

F-Truck: Paulo Salustiano faz seu melhor ano na categoria

Foto: Orlei Silva
Foto: Orlei Silva

Em sua temporada mais consistente em termos de resultados, o piloto Paulo Salustiano demonstra empolgação e sonha com o título da Fórmula Truck. Segundo colocado na classificação geral do Campeonato Brasileiro, ele tem presença garantida na sexta etapa, marcada para dia 9 de agosto em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul.

Ele, que venceu a corrida disputada no Velopark, também em terras gaúchas, reconhece a superioridade dos caminhões da Volkswagen em 2015, mas afirma que nada está garantido e, devido à elevada pontuação (53 pontos em disputa em cada corrida) desde o começo do ano, muitas mudanças ainda podem acontecer na tabela.

“Tem sido um ano espetacular, com excelente trabalho da equipe (ABF/Mercedes-Benz). Também devido ao melhor desempenho dos Volkswagen, me sinto orgulhoso de estar entre os dois fortes candidatos ao título: Felipe Giaffone e Leandro Totti. Agora vou com tudo para tentar ser campeão!”, disse Salustiano.

Ele tem 187 pontos contra 197 de Giaffone, 172 de Totti e 161 de Djalma Fogaça (Ford), os quatro primeiros na tabela de classificação geral. A diferença é pequena devido aos 53 pontos em jogo. Giaffone usará o restritor que tira a maior potência do caminhão, o que nos carros de corrida se chama lastro de sucesso.

Ele perderá cerca de 70 cavalos enquanto que Totti deixará de usar algo em torno de 30HP. Salu, por ser o segundo, fica com uma perda intermediária, com aproximadamente 50 cavalos. Ele reconhece a dificuldades, mas garante que o restritor deixou a competição mais equilibrada.

“Estar entre os três é complicado justamente pela obrigatoriedade do uso do restritor. Sofremos e nos sentimos prejudicados, mas está provado que equilibra mais o campeonato além de dar mais emoção. No geral, considero muito boa a aplicação do restritor. Em Santa Cruz do Sul, como a pista tem poucas subidas e retas menores, acho que não vamos sofrer tanto quanto em Goiânia”, analisa.

Aliás, a pista de Santa Cruz, cidade que reúne grandes indústrias tabagistas, teve a participação de Salustiano na sua inauguração. Em 2005 ele corria na extinta Fórmula Renault, que teve o privilégio de fazer as primeiras provas no traçado de 3.530 metros, que nestes anos sofreu importante melhorias. O traçado gaúcho marca o que Paulo Salustiano considera o recomeço da sua vitoriosa carreira.

“Foi nesta pista que voltei a correr depois de uns problemas e praticamente recomecei. Me lembro bem, pois estava numa categoria de carros iguais e, mesmo retornando depois de algum tempo sem pilotar, no classificatório fui 1s1 mais rápido que o segundo colocado e no final venci. Gosto de correr não só em Santa Cruz, mas no Rio Grande do Sul inteiro, pois o povo gaúcho é o mais apaixonado por automobilismo de todo o Brasil”, finaliza.

Deixe uma resposta

Top