Você está aqui
Home > Destaques > F-Truck: Salu promete virar gaúcho se vencer em Guaporé

F-Truck: Salu promete virar gaúcho se vencer em Guaporé

Foto: Orlei Silva
Foto: Orlei Silva

“Se eu ganhar em Guaporé, prometo que viro gaúcho”, a declaração bem humorada de Paulo Salustiano, líder do Campeonato Brasileiro da Fórmula Truck, se refere à oitava etapa desta temporada, marcada para dia 4 de outubro em Guaporé, interior do Rio Grande do Sul.

A brincadeira desse paulistano tem razão de ser, pois na briga pelo seu primeiro título, ele venceu as corridas disputadas no Velopark (Nova Santa Rita) e de Santa Cruz do Sul, ambas em território gaúcho. Caso vença em Guaporé, fecharia a trilogia de provas no Estado brasileiro que tem mais fanáticos por automobilismo.

“Essa é uma brincadeira que eu fiz com o meu chefe de equipe, o Pipo (Miguel Ferreira), pois vencemos no Velopark e em Santa Cruz do Sul. Se ganhar agora, no ano que vem me filio à Federação Gaúcha de Automobilismo”, se diverte Salustiano.

Brincadeiras à parte, o líder do campeonato reconhece que terá muitas dificuldades para terminar na frente esta terceira etapa em terras do Rio Grande do Sul. O principal talvez seja o fato de utilizar o restritor que mais tira potência dos caminhões, item do regulamento na 20ª temporada da Fórmula Truck. Salustiano terá no motor do seu caminhão Mercedes-Benz o restritor de 74 milímetros, o que o fará perder aproximadamente 70 cavalos.

“Esta será a primeira vez que vamos usar este restritor, que deixa entrar menos ar no motor e, consequentemente, reduz a força. O ponto positivo é que as pistas com as maiores retas (Goiânia e Curitiba) já ficaram para trás. Guaporé não tem grandes retas, que é onde a gente sente mais a falta de força, e em Cascavel (a nona etapa de 2015) a reta é em descida”, avalia Salustiano que tem 278 pontos.

Outro ponto que ele considera difícil de superar é a qualidade dos seus principais adversários na luta pelo título. Ele enfrenta nada mais, nada menos, do que dois campeões, reconhecidamente, velozes e consistentes pilotos. Felipe Giaffone, dono de invejável carreira internacional, tem três títulos brasileiros (2007, 2009 e 2011) e do bicampeão Leandro Totti (2012 e 2014), ambos com caminhões Volkswagen Constellation.

Eles também utilizarão um restritor – o regulamento prevê que os três primeiros usem -, mas que tira menos potência dos motores. O do vice-líder Giaffone (264 pontos) será de 76 milímetros, com algo em torno de 50 cavalos a menos, e o de Totti (263 pontos) de 78mm, o que o leva a deixar de usar cerca de 30 HP. No final da temporada todos serão obrigados a descartar o pior resultado.

“Ainda é muito cedo para fazer contas e ver que resultados todos precisaremos, pois teremos 159 pontos em disputa nas três provas restantes e muita água vai passar por baixo da ponte. Está tudo em aberto e estou feliz por disputar com dois nomes importantíssimos do automobilismo mundial como o Felipe e o Totti, excelentes pilotos. Estou contente por ter recebido muito apoio da minha equipe de mecânicos e da Mercedes-Benz nessa briga pelo meu primeiro título”, disse Paulo Salustiano.

Outro ponto positivo destacado pelo líder do Campeonato Brasileiro da Fórmula Truck é o clima de festa com que a categoria é recebida em Guaporé. Ano passado ele enfrentou muitos problemas, mas ainda assim chegou no pódio, como relembra.

“Tive uma corrida de fortes emoções em 2014, pois quatro motores quebraram, larguei em oitavo lugar e durante a corrida me recuperei e terminei em terceiro, algo que valeu como uma vitória e deu muito ânimo para todos da equipe. Mas o mais legal é que Guaporé é uma cidade maravilhosa e nos recebe de forma muito carinhosa”, finaliza.

Deixe uma resposta

Top