Você está aqui
Home > Outras categorias > Fórmula E: B. Senna minimiza “papel” no título de N. Piquet

Fórmula E: B. Senna minimiza “papel” no título de N. Piquet

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Embora tenha sido decisivo para a conquista de Nelsinho Piquet no primeiro campeonato da Fórmula E, Bruno Senna recusou o papel de “salvador da pátria” na última prova do calendário, disputada neste domingo no circuito do Parque Battersea, em Londres, e vencida pelo inglês Sam Bird.

Ao resistir à forte e longa pressão de Sébastien Buemi, que precisava ultrapassá-lo para igualar a pontuação de Nelsinho e superá-lo no quesito do maior número de vitórias, Bruno impediu que o título trocasse o Brasil pela Suíça.

“Não me sinto um pouco responsável pelo desfecho. Buemi estava atrás de mim porque rodou na saída dos boxes na volta da troca dos carros. Eu estava apenas brigando pela minha corrida”, explicou, com humildade.

O quarto lugar foi o melhor resultado de Bruno na temporada e serviu para amenizar a decepção com a campanha bastante abaixo das expectativas iniciais pela Mahindra Racing. Depois de um início de campanha razoável, a equipe foi ficando para trás no confronto com os adversários.

Tanto Bruno quanto seu companheiro, o indiano Karun Chandhok, enfrentaram enormes dificuldades especialmente nas tomadas classificatórias para o grid. “Foi gratificante terminar com nosso resultado mais expressivo depois de uma prova muito batalhada e de um ano difícil”, acrescentou.

Todas as atenções estivessem voltadas para a luta que Nelsinho, Buemi e Lucas di Grassi travavam pelo título. Antes da largada as chances pareciam favorecer amplamente ao piloto da e-DAMS, que saiu em 6º, enquanto di Grassi sairia em 11º e o filho do tricampeão mundial da Fórmula 1 em 14º.

A mera manutenção das posições de largada transformaria Buemi no primeiro campeão da série de carros elétricos da FIA. Bruno, no entanto, passou ao largo da disputa. “Não sabia que o Buemi precisava da minha posição. E mesmo que soubesse, não faria diferença.”

Mais tarde, contudo, Bruno fez questão de ressaltar a conquista do compatriota. “É muito bom que esse primeiro título da Fórmula E venha para o Brasil. Nelsinho está de parabéns, porque fez um ótimo campeonato, principalmente na segunda metade da temporada”, completou.

Enquanto negocia sua permanência na categoria, Bruno continuará nas pistas em 2015 também dentro da Blancpain Endurance Series como piloto do McLaeren 650 S da Van Ryan Racing, braço do fabricante inglês nas provas de resistência.

Deixe uma resposta

Top