Você está aqui
Home > Destaques > “Mercedes e Ferrari podem destruir a F1”, dispara chefão

“Mercedes e Ferrari podem destruir a F1”, dispara chefão

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Segundo a reportagem da revista italiana “Omnicorse”, um novo esquema de espionagem envolvendo a Mercedes e Ferrari está mudando o foco sobre o futuro da categoria. No início desta semana a publicação informou que por conta da troca de acusações realizadas pelas duas montadoras, a FIA deixou de lado a possibilidade de viabilizar um ‘motor padrão’ para investigar as acusações de espionagem.

Ainda de acordo com a reportagem, em Abu Dhabi a Mercedes registrou uma queixa formal contra a Ferrari. Segundo o time alemão, a equipe italiana estaria buscando brechas no regulamento através do desenvolvimento aerodinâmico do carro da Haas.

Outro ponto ainda mais grave foi a Mercedes acusar o seu ex-engenheiro Beijamin Hoyle (agora contratado pela Ferrari) por ter compartilhado informações do seu motor V6 Turbo para o time de Maranello. Apesar da manifestação, a escuderia nega qualquer tipo de relação com o dirigente. O caso está sob investigação da FIA.

Diante deste fato, Bernie Ecclestone, mandatário da categoria, fez duras críticas: “Mercedes e Ferrari podem destruir a Fórmula 1”, comentou o dirigente ao “Motorsport”. “Nós estamos tentando salvar a Fórmula 1, mas tem pessoas que não querem salvá-lo para o seu bem”, prosseguiu.

“Daí pergunto a vocês: Estamos destruindo a Fórmula 1 por causa de um fabricante? Que ele nos deixe como os outros, BMW, Toyota, que saíram quando acharam que o esporte não mais lhe convém”, disparou Ecclestone.

“Certa coisas podemos fazer para evitar o declínio do esporte. Estamos lá para entreter os fãs. Não estamos lá para tornar o esporte o show business da Mercedes ou fazer a Ferrari vender carros”, finalizou.

Deixe uma resposta

Top