Você está aqui
Home > Destaques > Os cálculos da decisão da Stock Car em Interlagos (SP)

Os cálculos da decisão da Stock Car em Interlagos (SP)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Marcos Gomes fez até aqui, nas 11 etapas, uma campanha sólida e constante na busca por seu primeiro título na Stock Car. O piloto do carro #80 soma 242 pontos, tendo vencido três corridas, com quatro segundos lugares, um terceiro e cinco pole positions.

Com 210, Cacá Bueno fica pouco atrás, embora tenha enfrentado mais contratempos que o piloto da Voxx Racing. O pentacampeão da Red Bull soma em 2015 duas vitórias, dois segundos lugares, um terceiro e uma pole position. Mas também conseguiu se manter na vice-liderança graças à sua constância. Das 18 corridas (de 20) que disputou, ele só zerou em uma. Gomes, por outro lado, ficou três vezes sem marcar nenhum ponto.

Contra si, Cacá tem o fato de não ter disputado a rodada dupla de Curitiba, em agosto, por cumprir uma suspensão imposta pelo STJD referente à segunda etapa, em Ribeirão Preto.

No entanto, Gomes teve um aproveitamento mais positivo sempre na primeira das duas corridas realizadas nas rodadas duplas. O filho do tetracampeão Paulo Gomes marcou 165 pontos na primeira prova de cada final de semana – a que tem maior duração e distribui mais pontos; Cacá Bueno, por outro lado, marcou 116.

As provas de menor duração das rodadas duplas têm representado um trunfo para o piloto da Red Bull: ele marcou 79 pontos nestas corridas, 30 a mais que o adversário e líder do campeonato. Enquanto o carioca chegou até a vencer uma das provas complementares (em Tarumã) e somado outros resultados positivos como dois segundos lugares, um terceiro e dois quintos, Gomes não teve um aproveitamento tão alto nos fechamentos de etapa: seu melhor resultado foi um quarto lugar e dois quintos, apenas.

Em Interlagos, neste final de semana, a chance é única – e a pontuação, dobrada: com apenas uma corrida, de 40 minutos mais uma volta de duração, Marcos Gomes espera repetir seu aproveitamento de pole positions (foram cinco até agora) para tentar largar o mais à frente possível e fazer uma prova sem sustos para garantir o título e ser o primeiro filho de um campeão da Stock Car a também levar a taça.

Para Cacá, a tarefa é árdua. Fazer o que sabe – acelerar – apenas não basta. O piloto da Red Bull, terceiro maior vencedor da história da Stock Car, precisa de uma combinação de resultados para levar o sexto título de sua carreira. Empatar em pontos está fora de questão, pois embora os dois, no caso de vitória de Bueno, terminem o ano com três cada um, Gomes leva vantagem no segundo critério de desempate, que é o número de segundos lugares: quatro a dois.

O vencedor da corrida levará 48 pontos; o segundo, 40; o terceiro, 36; o quarto 34, o quinto 32 e assim, sucessivamente, de dois em dois, até o vigésimo colocado.

Desta maneira, basta a Marcos Gomes cruzar a linha de chegada em 13º lugar para comemorar o título, mesmo que Cacá Bueno vença a corrida. Se o piloto da Red Bull terminar em quinto lugar, Gomes não precisa sequer pontuar.

Então, Cacá tem de vencer e torcer para que Marquinhos termine no máximo em 14º lugar. Se for segundo, Gomes tem de ser 18º; se for terceiro, o piloto da Voxx Racing não pode ir além da 20ª posição; e se for quarto – a última posição que lhe permite sonhar com o título -, Marcos não pode pontuar (terminar entre os 20 primeiros).

O treino de classificação que define o grid de largada acontece no sábado (12) ao meio-dia, transmitido ao vivo pelo SporTV. A decisão do título tem largada às 10 horas (de Brasília) no domingo, dia 13 de dezembro, com transmissão ao vivo pela Rede Globo, dentro do programa Esporte Espetacular, e também do SporTV.

MATEMÁTICA DO TÍTULO

Marcos Gomes campeão se:
for 13º (mínimo) e Cacá vencer;
for 17º (mínimo) e Cacá for 2º;
for 20º (mínimo) e Cacá for 3º;
não pontuar e Cacá for 5º.

Cacá Bueno campeão se:
vencer e Gomes for no máximo 14º;
ser 2º e Gomes no máximo 18º;
ser 3º e Gomes no máximo 20º;
ser 4º e Gomes não pontuar.

Deixe uma resposta

Top